O fusca marrom e o saco de cebola

Imagine eu e meu irmão no auge da adolescência pagando um mico extraordinário em Piedade, onde morávamos. Pois é. Com um fusca marrom e um saco de cebola. Mais um “Causo do Nei”.

Piedade, interior de São Paulo, década de 90 (falando assim parece que faz tempo pra cacete). Tínhamos uma escola particular na cidade. Como ainda não tínhamos idade para dirigir – eu e meu irmão Gil – meu pai nunca se preocupou em comprar um carro bom ou bonito. Tínhamos um fusca marrom. Era bom. Mas não era bonito.

O Centro Educacional Tessari – nossa escola – inventou em um sábado a tarde uma festa chamada “Festival da Sopa da Cebola”. Para quem não sabe, Piedade foi uma grande produtora de cebola. Pois bem. Este festival seria no Clube Literário, no centro da cidade. Este clube ficava de frente para a casa de uma das meninas bonitas de Piedade. Se não me engano Ana Carolina. Uma loirinha. E, como era uma casa de esquina, os outros jovens bonitos de Piedade ali se reuniam aos sábados. Ainda não tínhamos amizades com este povo. Depois viraram nossos amigos.

Vamos lá. Foi o dia inteiro de sopa de cebola. Todos os alunos e pais prestigiaram o festival. Na hora de ir embora meu pai começou a carregar o fusca com as coisas: panela, refrigerante, etc. No porta- malas do fusca – que fica na frente – colocou um saco de cebola enorme que sobrou. Eu e meu irmão, até então, tínhamos um pouco de vergonha do fusca marrom. Na hora de ir embora, entramos correndo no fusca e lá ficamos quietinhos para as meninas bonitas não nos enxergarem. Entrou meu pai, minha mãe e lá vamos nós embora para o sítio onde morávamos. Foi quando o pior aconteceu.

Meu pai foi fazer uma manobra na rua bem na frente da casa da Ana Carolina. Que estava cheia de gente, é claro. Foi quando ele foi manobrar e acertou a guia. Só que, ele acertou a guia com tanta força que o porta-malas abriu e o saco de cebola caiu todo na rua. Meu pai parou o carro ali mesmo e desceu para catar as cebolas que corriam pela rua. E, claro, mandou eu e meu irmão sair do fusca e ajudar a catar os legumes (ou flor, como diz o Google) ali espalhados.

Naquele dia eu tive certeza que mexer com cebola faz chorar.

Esse post foi publicado em Causos do Nei e marcado , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para O fusca marrom e o saco de cebola

  1. daniel teza disse:

    este fusca tinha um emblema escrito “turbo” na tampa do porta luvas!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s