O título mais improvável de todos: Fórmula Renault 2002

Imagine chegar à última etapa do campeonato na 3ª colocação, 14 pontos atrás do líder e sem ter conquistado nenhuma vitória na temporada? E assim mesmo fomos campeões com Sérgio Jimenez.

A minha estreia no automobilismo foi em 2002 no Campeonato Brasileiro de Fórmula Renault. Eu trabalhava na Máster Mídia do jornalista Otazú e fui escalado para acompanhar Sérgio Jimenez na equipe Bassani Racing. Foi uma temporada 100% de estreia. Veja porque:

– Estreia da Fórmula Renault no Brasil

– Estreia de Sérgio Jimenez no automobilismo

– Estreia da equipe Bassani Racing com vida própria no automobilismo

– Minha estreia nos autódromos

– Estreia do novo circuito de rua de Florianópolis

Mas vamos lá. Antes mesmo de começar o campeonato Sérgio Jimenez era apontado como favorito. Era de longe o principal e mais talentoso kartista da época. A estreia – mais uma vez a palavra estreia – foi em Curitiba, Paraná, no dia 21 de abril de 2002. Jimenez marcou o 11º tempo tomando exato 1s do pole position, o experiente André Prioste. Jimenez não terminou esta corrida. Teve problemas. O companheiro de equipe de Sérgio Jimenez era Renato Jader David. Bom kartista também, mas muito jovem. Largou em 12º e completou em 7º.

Na sequencia veio Brasília. Nelsinho Piquet participou da prova e marcou a pole position. Jimenez amargou a 12ª colocação. Jader foi o 10º. Nesta tomada de tempo rolou um stress entre os dois. Jimenez recuperou-se na corrida e conquistou o pódio com a 5ª colocação. Jader foi apenas o 11º.

Na terceira corrida Sérgio Jimenez mostrou força. Marcou a pole position em Tarumã, RS, apenas 0s009 de diferença para André Prioste. Jader deu uma panca, mais uma panca, mais uma panca na tomada de tempos, e largou apenas em 28º. A corrida foi disputada com muita chuva e Patrick Rocha se aproveitou de um dos poucos momentos de corrida sem Safety Car para ultrapassar Jimenez. A corrida acabou com vitória de Patrick e Jimenez em 2º. Jader foi o 18º.

Rio de Janeiro. Prioste imbatível marcou mais uma pole. Jimenez foi apenas o 7º. Jader, o dobro, 14º. Vitória de Lucas Di Grassi. Jimenez terminou em 3º e puto da vida. Quando ele se aproximava dos lideres começou a chover fraco e interromperam a corrida antes.

Chegou Vitória, circuito de rua. Jimenez muito bem nos treinos. Allam Khodair marcou a pole postion e deu uma porrada que fechou a pista. Levaram tanto tempo para arrumar, que anoiteceu e encerram o treino classificatório. Jimenez ficou em 2º e com gosto que poderia buscar a pole. Na prova um abandono. Ali parecia que o campeonato ficaria difícil para o piloto de Piedade. Khodair venceu e Jader conquistou um surpreendente pódio, na 3ª colocação. Fomos para Londrina, reta final de campeonato. Jader animado marcou o 2º tempo. Jimenez apenas o 6º. Mais um pódio para Jimenez. Ele foi 3º e Jader com problemas o 13º. Se não me engano Jader foi desclassificado e foi obrigado a largar em último.

Restando três corridas para o final do campeonato, Allam Khodair e Lucas Di Grassi apareciam como favoritos. André Prioste sofreu com falta de patrocínio e perdeu forças. Pela primeira vez na temporada se repetia uma pista: Curitiba. E lá foi Jimenez marcar mais uma pole position. 0s025 à frente de Di Grassi. Mas na 8ª volta o piloto da Bassani Racing abandonou com o cabo do cambio quebrado. Khodair foi o 2º e Di Grassi o 4º. Ali o campeonato parecia ter acabado de vez. Sem mais chances.

Ai quis o destino que viesse mais um circuito de rua e um baita resultado. Florianópolis. Jader marcou a pole position e Jimenez foi o 8º na tomada de tempos. Di Grassi largava em 3º e Khodair em 4º. Na corrida deu tudo certo e a primeira dobradinha da Fórmula Renault Brasil. Jader venceu com Jimenez em 2º.

Restando apenas a corrida de São Paulo para o fim da temporada, Di Grassi e Khodair estavam empatados na liderança com 14 pontos de vantagem para Jimenez, o terceiro colocado. E foi quando tudo aconteceu de bom para Jimenez e a Bassani Racing.

Veio da Europa “um tal” de Robert Kubica. Piloto polonês de Fórmula Renault. Veio e sem conhecer a pista e marcou a pole position. Como era convidado seu resultado não computaria. Dias antes da corrida um momento desagradável. Houve uma coletiva de imprensa com os candidatos ao título: Di Grassi e Khodair. Jimenez não foi convidado. “Esqueceram” dele porque as chances pareciam mínimas de ser campeão.

Sérgio Jimenez marcou o 2º lugar na tomada de tempos. Curiosamente Di Grassi e Khodair não realizaram uma boa tomada de tempos. Largaram em 8º e 11º respectivamente.

Interlagos com muita gente na arquibancada para a final da temporada da Fórmula Renault. De Piedade, terra do Jimenez, veio até excursão.

Kubica largou na pole e sumiu. Venceu. Mas como ele era convidado, os pontos de vencedor seriam dados para o 2º colocado. E foi uma briga emocionante. Marcos Gomes que largou em 4º assumiu a 2ª colocação com Jimenez em 3º. Na 7ª volta Khodair e Grassi se tocaram e levou a pior o “japonês”. Teve que abandonar. Di Grassi, em uma corrida de recuperação, teria que batalhar para ganhar posições e manter a liderança do campeonato. Jimenez tentava de todas as maneiras ultrapassar Gomes. Este se defendia muito e não dava chances. Para aumentar a angustia, nesta época os pilotos e equipes não utilizavam rádio. Então as informações para Jimenez eram passadas pela placa de sinalização.

Mas a corrida de recuperação de Lucas Di Grassi parou quando estava na 10ª colocação e encontrou Renato Jader à frente. O resultado na pista naquele momento dava o título ao Jimenez. Mas ele não tinha esta certeza dentro do carro e tentava de todas as maneiras a ultrapassagem. Depois de 17 voltas tensas, Gomes foi o 2º com Jimenez em 3º.

Pronto! Aconteceu o improvável. Sérgio Jimenez descontou 14 pontos de dois pilotos e foi o primeiro campeão de Fórmula Renault sem ter ganhado uma única corrida. Di Grassi venceu duas corridas e ficou sem marcar pontos em apenas uma prova e foi o vice-campeão. Khodair teve uma vitória e dois abandonos e foi o 3º.

Jimenez teve dois abandonos, três poles positions e seis pódios em 10 corridas.

Com o título Sérgio Jimenez foi competir de Fórmula Renault Inglesa em 2003.

Fomos campeões ao vivo para todo o Brasil com transmissão da Rede Bandeirantes.

Nem Freud explica este título.

Anúncios
Esse post foi publicado em F-Renault e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para O título mais improvável de todos: Fórmula Renault 2002

  1. zelia disse:

    Eu explico o acontecido, nem precisa de Freud. O que valeu foi a minha torcida, pelo meu aluninho Serginho e a felicidade de ter conhecido os bassani, Claudia e eduardo, ta explicado

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s