GP2: a melhor categoria de acesso para… a Stock Car!

Mais um piloto da GP2 está confirmado na Stock Car. Segundo o que coloquei aqui no blog na quarta-feira, Alberto Valério está de volta ao automobilismo nacional. Ele competiu por dois anos na GP2 e não conseguiu alcançar a tão sonhada Fórmula 1.

Mas a presença dos brasileiros nesta categoria que foi criada em 2005 não é um fato para nos orgulharmos. Foram algumas vitórias e três vice-campeonatos: Nelsinho Piquet (2006), Lucas Di Grassi (2007) e Bruno Senna (2008).

Nestas seis temporadas disputadas até hoje, tivemos apenas nove brasileiros na pista. E acreditem: cinco deles voltaram para o Brasil para competir de Stock Car. Por isso o título deste post.

Se considerarmos que Nelsinho Piquet está competindo de “Stock Car” no EUA este número sobe para seis. São eles:

Nelsinho Piquet, Xandinho Negrão, Antonio Pizzonia, Sérgio Jimenez, Diego Nunes e Alberto Valério.

Os três que sobraram: Lucas Di Grassi, Bruno Senna e Luiz Razia. Os dois primeiros alcançaram a F1. Mas hoje estão desempregados. Se viessem para a Stock Car teriam lugar cativo no grid, muita fama e mídia com a Rede Globo. Razia será novamente o único brasileiro no grid em 2011 a exemplo de 2010. Mas…

Fica a pergunta: não é muito pouco apenas nove brasileiros disputarem a GP2 em seis anos e apenas três deles alcançaram a Fórmula 1? E foram dispensados na temporada seguinte.

Obs: não estou contando o Antonio Pizzonia aqui. Ele foi para a F1 antes da GP2. Depois da sua participação na categoria de acesso, ele não pilotou mais um F1.

Esta participação do Brasil na GP2 é preocupante.

Os responsáveis pelo nosso automobilismo têm que parar por 1 minuto e pensar no futuro.

O que é melhor: as categorias nacionais ‘bombando’ ou vários pilotos brasileiros disputando a GP2 buscando uma vaga na Fórmula 1?

Acredito que tem gente que escolhe a primeira opção.

Esse post foi publicado em GP2, Stock Car e marcado , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

3 respostas para GP2: a melhor categoria de acesso para… a Stock Car!

  1. Tenho medo do Brasil seguir o mesmo caminho que a Argentina quanto a gerar bons pilotos para chegar com chances na F1… A tendência está nessa direção!

    E o pior, se continuar nesta tendência, temo que: Não ter brasileiros na F1 = desinteresse da torcida = GP de Interlagos perdendo prestígio = Não rende mais tanto dinheiro pra FIA = GP do Brasil fora do calendário da F1 = Cada vez mais difícil ter brasileiros na F1

    e assim, vira uma bola de neve…

    Morei na terra dos hermanos um tempo, assisti no autódromo o último GP de F1 de Buenos Aires em 98 e vi tudo isso acontecer de camarote!! Com os coitados Gastón Mazzacane e Esteban Tuero, andando na rabiola em carros sem a menor chance de almejar algo expressivo, assim como aconteceu com os coitados Lucas de Grassi e Bruno Senna em 2010…

    Acorda CBA!!!!! Tem muito muleke talentoso no kart que merece um empurrãozinho de vocês! Categorias de fórmula no Brasil fazem falta! E parabéns ao Felipe Massa, que por iniciativa própria é o único que tá contribuindo com a F. Future com um apoio perfeito para o campeão! A luz no fim do túnel!!!

  2. highdownforce disse:

    A WSR 3.5 é mais barata que a GP2 (sic) e tem visibilidade para a F1, mas não tem muita visibilidade no Brasil. Se a categoria poderia se tornar um “vestibular” mais em conta para pilotos brasileiros, esse ano estarão por lá Cesar Ramos e André Negrão.

  3. Pingback: Aposta: quando o de ‘amarelo’ vai estrear na Stock Car? | Bobo da Corte

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s