O “cavalo de pau” perfeito

Vamos a mais um Causo do Nei. Vocês lembram que ontem contei a história que vomitei seis vezes com o Sérgio Jimenez. E que no carro estavam Enéas e Dudu. Então. Foi o Dudu que me lembrou do Causo de hoje. É porque ele participa. Vamos lá.

Quando eu morava em Piedade antes de sair para a vida, eu tinha um Ford KA preto, 1.0, rebaixado, com rodão, película escura, som chamativo, etc etc. E causava um pouco com este carro. Vou abrir um parênteses na história agora. Meus amigos estavam com mania de fazer show de moto. Empinar, fazer zerinho, fazer graça etc.

Voltamos a minha história.

Certo dia, meus amigos marcaram no bairro Vila Élvio uma apresentação de moto. Foram todos eles e eu também. Só que fui com meu carro. Ai começou as acrobacias. Empina daqui, empina dali, e assim foi juntando um monte de gente na rua, E era no centro do bairro, uma rua de terra. Depois de 30 minutos de motos, acabou a apresentação. Ai. Eu estava ali com meu carro, decidi aparecer.

Fui até o fim da rua em alta velocidade e dei um cavalo de pau com meu carro. Foi lindo! Perfeito. Todos ali aplaudiram.

Voltei devagar e peguei embalo: pronto. O segundo cavalo de pau e na sequencia sai cantando os pneus. Já era o suficiente.  Meu show já estava dado. Mas, os moradores do bairro começaram: “Mais um! Chá..chá..chá… Mais um! Chá…chá…chá…

A pedido da multidão – cerca de 30 pessoas – fui dar o cavalo de pau para finalizar. Fui em alta velocidade, fiz a manobra e sai acelerando e segurando no freio de mão. Começou a levantar uma poeira e as pessoas aplaudindo. Soltei o freio de mão no meio da poeira e sai reto.

Bummmmmmmm!

Acertei alguma coisa. Baixa a poeira e vejo que acertei a porta de um Monza que estava parado. E o pior. O japonês, sua mulher e cinco japonesinhos. Aquela multidão que no inicio estavam berrando “Mais um, mais um”, mudaram o coro. Era assim:

– Burro, burro, burro!

Foi foda. Situação difícil. Poderia ter matado uma família toda de japonesinhos.

Acertado com o japonês como pagaria o prejuízo, tinha que ir para casa avisar meu pai que bati meu Ford KA. Levei o Foca – meu amigo de muitas histórias – para me ajudar a inventar uma história. O meu carro ficou com a frente danificada.

Chegamos em casa e contamos o que aconteceu. Na nossa visão:

– Sabe pai. Eu quis cantar o pneu na hora de sair com o carro e perdi a direção. Ai encostei na porta de um carro que estava parado.

Foi a história confirmada pelo Foca e omitimos os cavalos de pau. Meu pai lamentou e pediu para eu tomar mais cuidado.

Ufa! Deu certo.

Mas…

Estava meu pai e minha mãe jantando semanas depois quando apareceu Basílio Jimenez, tio do Sérgio Jimenez. Conversa daqui, conversa dali e o Basílio fala para o meu pai:

– teu filho bateu o carro né!

– Sim. Perdeu a direção e encostou em um carro, respondeu meu pai.

Mas o Basílio insistiu no assunto:

– É. Não sei porque quis dar tantos cavalo de pau.

Pronto. Fudeu.

Meu pai perguntou a história e Basílio contou.

– Eu estava de helicóptero sobrevoando a Vila Élvio com o Dudu. Ai vimos a molecada de moto fazendo o showzinho deles. Ficamos ali observando. Foi quando o Neizinho deu um cavalo de pau bonito. A foi dar o segundo. Perfeito! Ai não sei porque quis dar um terceiro. Ai ele fez uma graça a mais e acertou um Monza que estaca cheio de crianças. E eu e o Dudu vimos tudo de camarote.

Meu pai agradeceu o depoimento e disse que já tinha conversado comigo.

Quando cheguei em casa foi um dos piores sermões. Sabe quando seria melhor apanhar do que escutar? Pois é. Me senti assim.

O tio do Jimenez pilotava helicóptero e o Dudu sempre estava junto. E quis o destino que estivessem sobrevoando o show.

É. Nesta época já existia o “Comandante Hamilton” trazendo as noticias ruins para o “Datena”.

Esse post foi publicado em Causos do Nei e marcado , , , , . Guardar link permanente.

4 respostas para O “cavalo de pau” perfeito

  1. P*ta falta de sorte hein? Hahahaha! Dupla ainda. Uma por errar na 3ª vez, e outra por ter um tio de um amigo que estava sobrevoando de HELICÓPTERO! LOL
    Isso que é um causo.

  2. Zelia Tessari disse:

    quase morri do coração junto com os japonesinhos.

  3. E eu tô quase mijando nas calças de tanto rir imaginando a japonesada de olhos arregalados no Monza!!! huahuahuahuahuahua

  4. José Mário Dias disse:

    Nei, eu te amo! Hahahahahahahahahahahahha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s