Turismo que ajuda Fórmula: na Argentina, é claro

Muito se discute que as categorias de Turismo ‘matam’ as categorias de Fórmula no Brasil. Os números de cada categoria pode ajudar nesta tese. Categorias de Formula no Brasil: F3, F-Futuro e Fórmula Gaucha. Categorias de Turismo no Brasil – só para citar as que competem por todo Brasil: Stock Car, Copa Montana, GT3, BR de Marcas, Trofeo Línea, Mini, Audi, Porsche. Mercedes. E aposto que esqueci de algumas por aqui.

Então escutamos que o Brasil não terá representante na Fórmula 1 nos próximos anos. E isso muito se escutou da Argentina e que acabou virando uma verdade. O automobilismo argentino é muito forte. Mas só no Turismo.

Mas…

O que pouco é sabido, é que, propositalmente, a TC2000 – um dos principais campeonatos do país – ajuda a manter com bons grids uma categoria de fórmula. As equipes podem ter pilotos de testes durante a temporada. E em alguns eventos, são realizados testes mesmo. E estes pilotos, para serem aptos as vagas, devem estar competindo de Fórmula Renault 2.0.

Explicando. O bom kartista que sonha competir na TC2000 quando “crescer”, antes precisa competir de Fórmula Renault e conquistar uma vaguinha como piloto de testes. Nestes testes eles são observados pelas autoridades e dependendo da sua quilometragem e antecedentes, fica apto a pilotar um carro da TC.

Uma maneira interessante de manter viva a principal – e acredito que única – categoria de Fórmula da Argentina. E posso até apostar que deve ter equipe de TC2000 com equipe na F-Renault já preparando seu piloto. Não duvido não.

E também se o piloto quiser continuar a sua carreira de Fórmula, vai para a Europa pelo menos sabendo alguma coisa. E tenho certeza que o argentino que destacar-se na F-Renault 2.0 já assina um contrato com alguma montadora na TC2000.

O automobilismo argentino também deve ter os seus problemas. Mas parece que lá a vontade em ajudar/crescer/resolver é muito maior.

Esse post foi publicado em Automobilismo, F-Renault e marcado , , , . Guardar link permanente.

3 respostas para Turismo que ajuda Fórmula: na Argentina, é claro

  1. Emílio Campos disse:

    É por aí mesmo, Nei. Aliás, algumas equipes possuem acordos oficiais entre elas. Como o automobilismo argentino tem sua raiz nas competições nacionais à mais de 70 anos, e não em exportar pilotos como aqui, o interesse do público e também dos próprios pilotos é tamanho que muitos se quer pensam em correr no exterior. Mas uma razão pela qual a Argentina não tem conseguido emplacar pilotos nas top mundiais é simples: É que é difícil para todo mundo. Ainda mais com o peso bem desvalorizado como está agora. Correndo lá fora tem o Esteban Guerrieri que fez uma excelente campanha na Renault World Series e agora corre na Indy Lights.

  2. alê disse:

    Nei, procura o Franco Vivian, ele é bem informado sobre isso, pode te dar uma visão ainda mais detalhada… Abs.

  3. Johilton Pavlak disse:

    Muito legal a iniciativa.. Venho conversando com bastante pessoas com renomados nomes do automobilismo, e pude definir que é mais generalizado como um piloto “mais completo”, aquele que veio de uma carreira de monoposto. Por isso, essa “invenção” trará uma boa formação para os novos pilotos e facilidade em entrar na TC2000 …Parabéns ermanos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s