Copa das Federações de Endurance

Neste fim de semana foi realizada a 2ª etapa da Copa das Federações de Endurance. Foi lá no Velopark, no Rio Grande do Sul. A primeira etapa, lá em Guaporé, também no Sul, a equipe Via Italia Racing venceu com sua Ferrari F430 GT2. Lá estavam 20 carros inscritos, sendo que apenas cinco inscritos na Copa das Federações. Os outros estavam apenas inscritos no Gaucho de Endurance. Motivo: para participar da categoria da CBA o valor da inscrição aumentava.

E neste fim de semana foi realizada a 2ª etapa. A Via Italia Racing não participou. Não tinha sentido gastar uma bala para disputar o Gaucho de Endurance. Não desmerecendo os participantes ou modelos de carros. Mas a Ferrari GT2 é muito superior aos outros carros. Sem a presença de Porsches, Lamborghinis, Fords, etc, fica uma corrida sem lógica.

E nas 3 Horas do Velopark estavam 18 carros. Fico curioso para saber se algum inscrito na CBA para a Copa das Federações.

É gente. Endurance no Brasil é uma prova ou outra mais importante. E mesmo assim está difícil reunir grid.

Triste.

Abaixo o release da CBA sobre a etapa deste fim de semana:

Trio Ventura-Toledo-Cardoso dominam 3 Horas do Velopark

MXR Audi da equipe Autorace/Marcas largou na pole e fez a melhor volta da prova

Rio de Janeiro, 13 de agosto de 2011 – O trio formado pelos pilotos Pierre Ventura, Felipe Toledo e João Cardoso Jr dominou praticamente de ponta a ponta as 3 Horas do Velopark, segunda etapa da Copa das Federações, disputada hoje no circuito de Nova Santa Rita (RS). Os protótipos nacionais dominaram a competição e ocuparam as três primeiras posições na classificação geral, enquanto o Ferrari 430 da dupla Carlos Steyer e Fernando Poeta ficou em oitavo e o BMW M3 GTR de Ricardo Landi e Carlinhos Andrade abandonou em consequencia de um choque com a máquina italiana.

A prova de hoje teve um ritmo bastante forte nas primeiras dez voltas, marcadas pela disputa entre o carro vencedor e o MC Tubarão de Geciel (Tiel) Andrade e Bruno Justo, que trocaram de posições várias vezes e disputaram freadas em várias ocasiões. O ritmo forte certamente está na raiz da pane que afastou o protótipo da família Andrade da briga pela liderança: ao completar a décima-quarta volta o belo biposto foi levado ao box para reparar uma junta homocinética quebrada. Apesar da permanência do safety car na pista entre as voltas 23 e 34 para eliminar o óleo que criava situação de perigo na freada para a curva 1 – um dos pontos mais velozes do traçado gaúcho -, o protótipo só voltou à pista muito atrasado. Enquanto isso, o líder da prova seguia em um ritmo forte, marcando voltas abaixo de 1 minuto por praticamente toda a duração da prova. Na última meia hora de prova o líder João Cardoso decidiu poupar o equipamento, mas nas três voltas finais não resistiu a explorar todas as possibilidades do carro:

“Nós tivemos um carro excelente durante toda a corrida e, próximo da bandeirada, eu me senti seguro para me divertir um pouco. Acelerei pra valer e consegui marcar a melhor volta da competição (56m132) na penúltima volta da competição.”

Com o MC Tubarão fora da briga os maiores rivais dos vencedores passaram a ser o MXR VW de Paulo e Alexandre Hoerlle e Pedro Castro e do MRX Ford de Nilson Cintra e Beto Ribeiro, dupla formada por pai e filho. Paulo Hoerlle, veterano das pistas nacionais, comemorou o segundo lugar na geral como uma vitória:

“Não mexemos no carro desde as 12 Horas de Tarumã do ano passado e conseguimos disputar a corrida num ritmo forte que permitiu ao Castrinho estrear em uma categoria superior com um grande resultado.”

Pedro Castro, que disputa a F-1.6 gaúcha, é o quinto piloto da dinastia Castro, outra família tradicional do automobilismo gaúcho, a formar equipe com o veterano Hoerlle e seu irmão Alexandre. Como que a reforçar a tônica familiar da segunda etapa da Copa das Federações, Nilson e Beto Cintra Ribeiro, festejaram o pódio fazendo planos para a viagem de 1.500 km que começam a fazer neste domingo, rumo a Campo Grande (MS), onde residem.

“Vamos viajar no nosso motorhome assistindo a vídeos da corrida e analisando os dados que nossa equipe recolheu durante a prova”, comentou Nilson Cintra. Ao seu lado, Beto já começava a estudar os pontos do protótipo #65 que devem merecer as primeiras atenções:

“Temos que trabalhar a suspensão dianteira, que está vibrando muito, e os discos de freio dianteiros, que parecem estar empenados.”

Resultado da prova de hoje

1) P.Ventura/F.Toledo/J.Cardoso Jr, MRX Audi Turbo, Cat.I, 171 voltas
2) P.Hoerlle/P.Castro/A.Hoerlle, MCR VW Turbo Cat.I 167 v.
3) J.Ribeiro/N.Cintra, MRX Ford, Cat.II, 161 v.
4) G.Andrade/B.Justo, MC Tubarão Audi Turbo, Cat.I, 149 v.
5) D.Dornelles Neto/M.Dornelles/R.Dornelles, VW Voyage, Cat.IV, 151 v.
6) M.Martins, VW Gol, Cat.IV, 146 v.
7) R.Trenttin/I.Diehl/A.Diehl, VW Gol, Cat.IV, 144v.
8) C.Steyer/F.Poeta, Ferrari 430, Cat.III, 144 v.
9) P.Ávila/C.Belleza, Chevrolet Corsa, Cat. IV, 142 v.
10) F.Baretta/R.Tardivo/A.Lima, VW Gol, Cat.IV, 127 v.

Confederação Brasileira de Automobilismo
Assessoria de Imprensa

Foto: Erlon Radl

Esse post foi publicado em Automobilismo e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s